Pesquisar este blog

Vote para eleger nossas fotos no Festival de Brasilia

domingo, 26 de maio de 2013

Agradecimentos

    Amigos, mais uma vez venho agradecer a todos, todos, todos, pelos votos, campanha e paciência com tanta falação aqui, rs... mas, enfim, quem quer ganhar tem que pedir apoio, né? Foi informado que nossa foto foi a segunda mais votada. Acredito que os números nunca vamos saber. Ou talvez saibamos algo, não sei. Mas quero mesmo é agradecer mais uma vez a colaboração de todos, nem tem como descrever aqui quanta gente nos apoiou. Queria muito essa capa e fizemos tudo possível, mas é muito importante que BH seja destaque. Agradeço muito a Escola São João Batista, todo povo de Morro do Ferro, especial ao Duga, Ildeano e Saulo. Eu não tinha muito contato com o Distrito, a foto foi feita num desses acasos da vida que Deus nos presenteia, mas a recepção lá foi memorável. Agradeço muito a todos vocês. Agradeço muito a Oliveira, as escolas todas aqui, Carmópolis, Carmo da Mata, Cláudio, Passa Tempo, Piracema, São Chico, SJDR, Muriaé, BH e todos os amigos desses lugares. Obrigado ao apoio vindo de todo país, até lá de Roraima, Goiás, Quiri, Iacanga, Ribeirão Preto, Uberaba, Uberlandia, interior de São Paulo, Austrália, etc... rs... Obrigado a turma que pelejou comigo aqui, Leticia, Tassiane, Augusto, Jamil, Lucimar, Kilder, Thaís, Bruna, Carol, Bruna, Karina, Aninha, Lorena, Jaque, Miih, João Belo, Amanda, Márcia, Luiza, Aline, Isabelle, Vinicius, Júlia, Vander, Eduardo, Luiz, Marciano, Daniel, Déia, Leonardo e toda turma que não estava diretamente envolvida mas que mandou muito voto e muito apoio. Obrigado aos Almeida, aos Braga, a Romanada e batistanos espalhados pelo mundo. Obrigado a toda turma do Face, Twitter, email, a turma que nem tem computador nem internet, mas apoiou da forma que pode. Havia realmente muita gente mais fanática com essa capa do que eu mesmo. Tivemos a chance e fizemos o possível. Soube que algumas pessoas que tem Oliveira na certidão de nascimento teriam - por questões políticas - feito uma certa  campanha contra o próprio município  abrindo o site e votando em outras fotos. Como sou muito otimista, penso que não haja gente tão mesquinha assim aqui na cidade, e vou continuar pensando que todos que puderam dedicaram um tempinho a favor de Oliveira e Morro do Ferro. Só sei pensar assim. Fiz o que pude, às vezes tive a impressão de estar brigando sozinho com o site, rs... mas sei que havia realmente muita gente envolvida a favor da nossa cidade. Foram vinte seis dias de "endoidecer gente sã" mas já estou voltando ao normal. Lutamos contra interesses, bloqueios de página, falta de informação e um ror de coisas, mas fomos colocados em segundo lugar. Agradecer muito a equipe, alguns já amigos da outra edição do concurso, este ano com a boa novidade, a conterrânea Brenda Silveira que teve muita paciência comigo [eu sou bem chato com a produção, rs...]. A Brenda acabou nos deixando no final do segundo tempo, mas fica minha gratidão. Muito obrigado a todos mesmo. Eu fiz uma campanha pra primeiro lugar, acho que fomos, mas bateu na trave. Enfim. Muito, muito obrigado a todos, não me chamem de ingrato se não lembrar de falar com todos, mas muitos já listei e agradeci, outros vou falando com o tempo. A participação foi ótima e não me canso de agradecer. Gratidão sempre!

domingo, 5 de maio de 2013

O olho mágico de Sidney de Almeida

Aos 30 anos, esse oliveirense já é um grande veterano como profissional da imagem. Além do rotineiro serviço diário, Sidney desenvolve um requintado trabalho artístico, que nos últimos dois anos tem lhe valido o título de um dos mais talentosos fotógrafos do Estado. E mais uma vez tem um trabalho classificado entre os oito melhores, no mais abrangente e difícil concurso de fotografias de Minas. É com Sidney de Almeida que conversamos, nesta entrevista.
Sidney de Almeida / Foto: Davit Gimenez
Foto: Davit Gimenez


Gazeta - Para você, o que é fotografar?
Sidney - É trabalho, amor e um grande prazer. Depois que aprendi e entendi o que é a fotografia e sua importância, ela se tornou parte da minha vida. As pessoas já ligam meu nome com fotografia.

Gazeta – A fotografia sempre fez parte de sua vida? Quando começou sua história como fotógrafo?
Sidney - Desde criança estou nesse meio. Meu pai já trabalhava com foto e vídeo. Então tive contato cedo com as imagens. Hoje ele lida totalmente com vídeo e deixou os cliques para mim. Meus primeiros trabalhos são em vídeo. Mais tarde fui aprendendo e apreciando a fotografia e não teve volta. Considero-me fotógrafo profissional, ciente do que estou fazendo e com conhecimento para isso há 13 anos.

Gazeta - O que é preciso para ser um bom fotógrafo?
Sidney - Penso que paciência, técnica, paciência, criatividade, paciência, bom humor (risos). Há que se saber lidar com a luz, com o espaço, com as pessoas. Há que se reinventar a cada imagem, buscar um novo ângulo, sempre uma forma inovadora de olhar e passar a mensagem para o leitor da foto. Mas a paciência é fundamental. Os clientes dizem que sou muito calmo (risos). Isso é bom. A técnica é importante para saber resolver as dificuldades de cada dia. Bom humor é fundamental.

Gazeta - Como você adquiriu seus conhecimentos sobre fotografia?
Sidney - Somos autodidatas. Meu pai começou fascinado com cinema, foi pesquisando, passou pela foto e hoje domina o vídeo. Eu aprendi com ele, depois fui com minha curiosidade. Hoje leio muito. Há muito material interessante e livros voltados para fotografia. Sempre há algo para aprender e hoje as fontes estão mais acessíveis.

Gazeta - Neste contexto, o que é uma boa foto?
Sidney - Penso que a boa foto é aquela que transmita a mensagem e que seja documento histórico familiar também. Que tenha estética, que conte uma história, que seja bela e mostre algo para os que virão. Eu quero que os filhos e netos dos casais que fotografo entendam o que está acontecendo na cerimônia de casamento. Eu quero que outras gerações compreendam como era nosso Carnaval, Semana Santa, Congado. Uso essa minha forma de escrever.

Gazeta - Quando a fotografia deixa de ser um trabalho e se transforma numa arte?
Sidney - É aquela história: trabalhe no que você gosta. Quando a gente encontra isso, esse resultado artístico vem de forma natural. Claro que a gente busca sempre mais no resultado. Acho que a arte está nessa busca.
Sidney: “Sou um fotógrafo da beleza”. Foto: Galdino Almeida
Sidney: “Sou um fotógrafo da beleza”. Foto: Galdino Almeida

Gazeta - Nos últimos dois anos você tem se destacado em um concurso de fotografia de âmbito estadual, que envolve grandes artistas da imagem, sobre tema relacionado às paisagens mineiras. Como tem sido esta experiência?
Sidney - Eu fiquei muito satisfeito com a seleção das minhas fotos. Na primeira participação me pareceu um reconhecimento além na nossa região – já que aqui as pessoas já acompanham e gostam do trabalho. Então foi uma expansão, um reconhecimento externo que me deixou feliz. Ser finalista dois anos consecutivos foi surpreendente. É um concurso prestigiado e recebe fotos lindas de vários cantos dessa bela Minas Gerais. Fiquei muito surpreso e grato. Gosto de colocar minha cidade lá em destaque também. Sempre que vejo materiais de outros lugares já penso em colocar Oliveira e as cidades que atendendo. Fiquei muito satisfeito com a adesão das pessoas. É gratificante ver que estão reconhecendo e apoiando seu esforço.

Gazeta – A que você deve o seu sucesso profissional?
Sidney - Se hoje tenho uma profissão e um caminho, agradeço muito à minha família, meu pai e minha mãe, que sempre me apóiam, chamam minha atenção para algo que não está certo e estão sempre comigo. Agradeço muito a eles e a todos que gostam do trabalho. Eu sempre tenho essa ideia de mostrar coisas boas que acontecem hoje. A gente vê muita notícia ruim, muito sensacionalismo com algumas coisas e eu procuro seguir as coisas boas que devem ser mostradas. Às vezes tenho que encontrar beleza onde, a princípio, não havia. Há os fotógrafos de colunas policiais, guerras, essas coisas todas. Eu sou um fotógrafo da beleza.

Publicado no jornal Gazeta de Minas, 21 de abril de 2013, páginas 01 e 13

quarta-feira, 1 de maio de 2013

ACINOL Dia das Mães

Recebemos aqui onze mães e filhos para serem fotografados para a campanha da Associação Comercial de Oliveira. A campanha do Dia das Mães 2013 foi feita com imagens de famílias que prestigiam o comércio local. Além dos materiais tradicionais de divulgação, foram criadas lonas que foram expostas na Praça XV. Apesar de normalmente eu não clicar crianças em ensaios, o resultado ficou  bem bacana.
Campanha ACINOL Dia das Mães / Foto: Sidney de Almeida

Através das mamães: Ana Maria de Freitas, Arlete Maria do Carmo Teixeira, Clarissa Ribeiro Rodrigues, Catte Aparecida de Oliveira, Deise Mariana Chagas do Rosário, Fernanda Paolinelli, Kênia Pâmela, Lais Mendes, Luciana Barezani, Rejane Aparecida Pereira, Marisa de Lourdes R. Oliveira e Isabel Santos a ACINOL parabeniza todas as clientes que visitam periodicamente o varejo de Oliveira! Esta é a ideia central da Campanha para o dia dos Mães. Foram confeccionados, 200 cartazes, 7.000 cartões personalizados da Campanha (que serão distribuídos pelas lojas para incrementar o presente comprado para as mães), a Praça XV receberá uma decoração especial com os banners gigantes e personalizados com as fotos das mães homenageadas.

A homenagem se estenderá também pelas mídias sociais e em ações inusitadas nos lugares de concentração maior de pessoas nas vésperas do dia.
Tudo isto será feito para lembrar que dia 12 de maio é uma data especial para uma pessoa especial. E vale lembrar que ela ficará feliz com um presente!

Campanha ACINOL Dia das Mães / Foto: Sidney de Almeida

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...