Pesquisar este blog

Você sabe qual a taxa de inflamação celular do seu corpo? Faça o teste

sábado, 28 de abril de 2018

Felicidade

    Estou fotografando em um parque, gerando material institucional. Entre 8 e 13 horas estou atarefado. Vejo a chegada dos ônibus trazendo os visitantes para o dia que promete ser animado. Faz frio. Boa parte das visitantes são senhoras. Surgem malas e tralhas de viagem. As turmas são animadas. Vários ônibus e algumas vans. Vou clicando. Estou um pouco cansado, devido a cobertura de uma festa na noite anterior.

    Seguem as fotos necessárias para o cliente. As pessoas se divertem. Uns já começam rodear a piscina. Churrasco. Outros já se dirigem para o salão. Há um senhor que dança a manhã toda. Fico admirado: não sei dançar. Uma jovem desajeitada tenta com dificuldade fazer seu primeiro passeio à cavalo. Fico admirado: nunca fiz um passeio à cavalo. Fiquei me imaginando naquela situação, mas sem vontade de tentar. Alguns se divertem na sinuca. As crianças no futebol. Há ambulância, socorrista e enfermeira - esta também trabalha na cozinha. Alguns pescam na lagoa. Fotografo todos. A manhã segue animada.

    Registrados todos os movimentos, chega a hora do almoço. As barrigas parecem um despertador: se manifestam simultaneamente e uma fila se forma. O cardápio apetece. O buffet está bonito. Todos, ou quase, fazem a refeição. Resolvo participar.

   Me sirvo de carnes e uns poucos acompanhamentos. Mesas cheias. Peço licença à senhora solitária na mesa para usar uma das cadeiras. Ela consente. “Obrigado” digo. “Obrigado não, eu que deixei mesmo”, ela retruca. Proseamos. Ela fala da vida, dos trabalhos, a época em que trabalhava plantando árvores, do relacionamento, das doenças. Dona Petrina parece estar feliz agora. Aposentada. Gosta de ir à passeios desse tipo. Estou quase terminando o prato e ela defende: “A felicidade não existe - o que existem são momentos felizes”. Fico admirado: ultimamente sinto que a felicidade existe sim! Esperançoso, penso comigo que ela pode estar enganada. Termino o almoço. Despeço da turista. Termino minha cobertura e me retiro. Mais tarde, dona Petrina retorna em seu ônibus para Ibirité/MG.

Sidney de Almeida, 28/04/2018

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...